terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A morte natural dos amores

Desde o nosso fim que não temos mais contato. Nunca mais te vi. Nem uma foto sequer.  Estou esquecendo você. Quando me lembro, não consigo mais ver o seu semblante. Não lembro mais dos seus traços, das suas expressões. É como se eu te imaginasse em meio a uma cortina de fumaça. Estou me esquecendo de como era sua voz.  Há muito tempo ela não ecoa na minha cabeça.
Engraçado porque quando te observava, muitas vezes durante seu sono, eu fazia questão de registrar cada detalhe do seu rosto e corpo, guardando cada pinta sequer para quando eu ficasse longe de você, eu pudesse te ter no meu pensamento e assim sentir menos saudade. Achava que eu tinha uma boa memória fotográfica, mas, me enganei.  O tempo é implacável, e ele voa. Com ele tem ido a sua imagem. Juro que me controlei até para não esquecer. Mas na coleção de dias bons que vieram depois, você se perdeu.

Por causa disso, ás lembranças vem morrendo a cada dia. Os momentos estão ficando difíceis de serem resgatados, assim como os sonhos que sabemos que sonhamos, mas, não conseguimos lembrar com detalhes pra contar para alguém. Vou deixando eles se apagarem pouco a pouco.  

Os sentimentos no meio disso tudo adoeceram por falta de cuidado. Ainda estão aqui, mas sei que vão perdendo as forças até não incomodar mais como uma pedrinha no sapato que quando sai nos dá um alívio. Eles só ficam ali, no cantinho do coração dormindo sem energia para fazer nada.  Eu já vi isso acontecer antes, sei o final. Assim acontece a morte natural dos amores. Mesmo sendo orgânico, dói saber que o processo começou. Mesmo sabendo que é necessário, dá dó (essa nossa mania de ser apegado até ao que é ruim, vai entender).  O bom disso tudo é saber que tudo que morre dá lugar pra algo novo nascer. E o novo é sempre melhor já dizia meu personagem preferido ever, Barney Stinson. Sempre haverá uma nova história, uma nova sensação. Outro sorriso que prende a atenção e um novo rosto para guardar na lembrança. E já que citei how i met your mother (como sempre), lá vai um ensinamento que cai bem pra fechar esse texto com chave de ouro: "Pela primeira vez em anos, o mundo estava aberto. Porque, crianças, quando uma porta se fecha... Bem, vocês sabem o resto.” 

Resultado de imagem para how i met your mother trompete azul
Resultado de imagem para how i met your mother trompete azul


"Dad is home!"



                                                                           Camila Ribeiro

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Reciprocidade é uma dádiva

Assim como a empatia, a reciprocidade é essencial dentro de qualquer relação. Empatia é se colocar no lugar do outro tentando compreender seus sentimentos e emoções. Reciprocidade é dar e receber. É ter a capacidade de demonstrar e retribuir um sentimento não apenas com palavras, mas com ações. Mas diferente da empatia que é uma escolha, a reciprocidade não se controla, não se mede, não se cobra. Ou tem ou não tem.

Existem dois lados da moeda: Quando você é a pessoa que gostaria de corresponder o sentimento de alguém mas não consegue e se sente mal por isso ou quando você faz tudo por uma pessoa mas não se sente correspondida. Por mais que reciprocidade não se controle, queremos tanto cobra-la. Cobrar de alguém sentimentos como o amor e reciprocidade é querer fazer de algo tão natural e orgânico uma obrigação, algo forçado, uma atitude mecânica. Perde a graça, pois só o que é sincero nos preenche. Só o que é de coração nos comove.  

Ninguém é obrigado a corresponder suas expectativas. Reciprocidade é uma dádiva e o que é reciproco se conta nos dedos.

Ser correspondido é uma felicidade sem fim. Mas se não for, paciência. Aceite. O mundo é dos volúveis e amor carrega o peso da intensidade e da eternidade. Amor é loteria. 

Pratique um egoísmo saudável, não permaneça onde não exista reciprocidade. Deixe ir, pois se você sente mais você merece mais. Merece alguém que sinta o mesmo por você naturalmente e tenha o seu coração. Aprenda: Amor não é obrigação. Reciprocidade não se impõem.

Não, ele não te quer. Desencana. Não precisa esquecer tudo que vocês viveram juntos, mas se permita viver coisas novas com outras pessoas. Foi o recado que ele deixou no momento em que decidiu não te incluir mais nos planos dele. E, de verdade, quem vai dizer que não era um direito dele fazer isso? As pessoas, até onde eu sei, são livres. Essa é a graça da coisa. Tem gente que pode voar pra bem longe, mas resolve pousar e ficar pertinho. Tem quem reúna tudo aquilo que sempre se sonhou para fazer:



Camila Porto Ribeiro

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Agradeço por ter chegado até aqui. Que venha 2017!

Você pode ler este texto ouvindo:Whoever she is - the maine

Nunca cresci tanto como em 2015/2016. Foram anos dificílimos pra mim. Em 2013 eu descobri vários problemas psicológicos, dentre eles depressão, ansiedade, pânico... dificuldades que estagnaram minha vida durante dois anos seguidos. Dois anos em que minha vida se resumiu em tratamento e lutar para levantar da cama e ir comer, tomar banho, tentar não querer morrer. Tentar ao máximo ter uma vida normal para que as pessoas não perguntassem nem reparassem em nada. Uma luta diária. 2015/2016 foi quando eu realmente vivi. Sai do meu casulo, minha pequena bolha, e fui tentar recomeçar minha vida. Um pouco triste, mas forte. Pequenos passos para ir atrás de tudo que não conquistei nos dois anos em que fiquei resguardada. Estudar, ir atrás de um emprego, sair, conhecer pessoas... ufa! Ser adulto não é fácil. Cada pequena conquista pra mim era uma festa e ninguém entendia. "Porque você não tem isso ainda?", "Não acredito que até hoje você não fez aquilo!" Eu ouvia calada e seguia. Tenho aprendido a valorizar os meus passos, as minhas pequenas conquistas. Aprendendo a respeitar o meu ritmo e compreender que estou num processo de crescimento que é só meu. Só eu sei da minha história e o que passei pra chegar até aqui. 
Tenho aprendido que não devo satisfações a ninguém, que devo exigir respeito, e que os outros são apenas os outros. Tenho aprendido que não vale a pena se diminuir para se encaixar na vida de alguém. Entrei em um novo mundo e tive que lidar com tipos de pessoas que ainda não havia convivido com valores e pensamentos bem diferentes dos meus. Vi o quanto o ser humano tem a capacidade de ser bom e iluminado e como é capaz de ser ruim e egoísta na mesma intensidade. Conheci pessoas belas e pessoas feias por dentro. Rasas e profundas. Conheci outros tipos de realidades. 

Nem todo mundo tem o nosso coração. Nem todos se encantam com a simplicidade da vida. São rara as pessoas que dão valor ao que realmente tem valor. Aprendi muito sobre feminismo, racismo, homofobia, sororidade. Entendi que cada um de nós esta em um processo de crescimento diferente e infelizmente não se pode salvar pessoas que não querem ser salvas. Percebi que pessoas vem e vão das nossas vidas e as que ficam é porque tem o mesmo coração e valores que você, é a tal da teoria da peneira. E é essas pessoas que ficam que você deve querer perto e amar de todo o coração, por essas sim vale a pena lutar. Assim como aquele episódio de natal em que o Ted fala da Robin, eu posso ter sido muitas coisas nesta vida, mas uma coisa que eu nunca fui é sozinha. Existem pessoas maravilhosas na minha vida que me ajudaram bastante nessa caminhada e creio que neste caminho que escolhi ainda encontrarei muitas. Aprendi que quando você começa a agradecer por tudo, coisas boas acontecem na nossa vida. Constatei que a verdade liberta e que tem dores que vem pra curar. Se você acredita que não existem pessoas boas neste mundo, seja uma. Algumas pessoas passarão na nossa vida fazendo um estrago danado, mas se você é seu próprio porto seguro, vai ficar tudo bem. Não odeie essas pessoas, elas só estão perdidas. 

Aprendi a lutar pelo que acredito, mesmo com toda a dor, toda decepção e solidão que isso causa pois sei que vai valer a pena. Sempre vou lutar pelo amor, pelas pessoas, pelo bem, pela a simplicidade, eu nasci pra isso e só as pessoas que entendem irão caminhar comigo no meu processo. A estrada é longa, mas é a certa pra mim. Por mais que tenha sido difícil o ano de 2016, eu só tenho o que agradecer porque se eu tivesse desistido lá atrás, hoje eu nem estaria aqui escrevendo este texto. 

 Foram muitos aprendizados nestes últimos anos, mas o maior de todos é que eu ainda não sei nada da vida e que eu ainda tenho muito a aprender. Então vou entrar neste ano de 2017 aberta á todas as possibilidades que ela vem trazendo consigo, fazendo novos planos e jogando os meus antigos fora. Parar de me colocar para baixo, quero encontrar algo que me faça grande. Ser cada dia uma pessoa melhor, traçar um mapa, respirar fundo e ir. Sempre respeitando o meu processo, os dos outros e sendo a minha melhor companhia. Continuar crescendo, porque posso continuar pequena de tamanho, mas a alma, ah, esta tem que ser GRANDE!

Nenhum texto alternativo automático disponível.


Desejo à todos vocês um ano novo muito feliz ! 

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Solteiros, vamos falar sobre o dia dos namorados?

Vamos combinar, dia dos namorados não é dia de se sentir um lixo, se trancar em casa com um pote de sorvete e um filme de comédia romântica e ficar chorando as mágoas por estar passando sozinha, né? Também não é cool, sair postando piadinhas no facebook do tipo "o dia é dos namorados, mas a noite é dos solteiros hahahaha", muito menos aqueles memes insinuando que você só observa falsos casais comemorando, ou então "não comemorar dia dos namorados é como não comemorar dia dos finados..." blábláblá. Vamos parar?
NÃO TEM NADA DE ERRADO EM ESTAR SOLTEIRO NO DIA DOS NAMORADOS OK?
Realmente, tem gente que era melhor pra eles nem estarem namorando, mas, vamos falar de você?
Porque ao invés de tentar menosprezar esse dia, vamos nos inspirar com ele? Se tiver nos seus planos, um dia você irá encontrar alguém especial com quem irá dividir muitos dias românticos na sua vida, você irá amar e ser amado, e vai curtir MUITO. Mas enquanto não acontece, vamos amar outras coisas! VAMOS AMAR O AMOR! Vamos ser corajosos, e celebrar este sentimento tão bonito e forte mas que temos deixado de lado para dar importância as outras coisas banais. Vamos admirar e nos inspirar com histórias de casais que se amam de verdade, vencendo toda essa loucura do mundo e que nos fazem acreditar no amor. Vamos apoiar quem tem força parar amar mesmo no tempo em que é tão difícil confiar em alguém e se entregar. VAMOS NOS AMAR, nos cuidar e viver felizes nos tornando a nossa melhor companhia e ter certeza que não PRECISAMOS ter ninguém do nosso lado para sermos completos, satisfeitos e nos sentir amados. Valorizar o amor, a paixão, o romance, mesmo não vivendo no momento, também é um grande passo para ser feliz consigo mesmo.

Dia dos namorados: Buscando a essência.

Dia dos namorados não se trata de presentes, jantares pomposos, declarações no facebook, buquês de rosas vermelhas. Não precisa se descabelar para preparar uma surpresa grandiosa.
Nada disso é mais importante do que acordar no domingo de manhã, olhar para o seu amor de um jeito diferente dos outros dias e se dar conta de que " Meu Deus, eu namoro com el@! Puts, sou sortud@ pra caralho!!!" e perceber que ainda carrega muita paixão em seu coração.  É um momento para pensar em tudo que viveu com esta pessoa até aqui, tudo o que ainda pode viver e tudo o que ainda espera passar com a pessoa que ama. Não esquecendo que haverão momentos bons e ruins, que ninguém gostaria de passar. E depois de toda essa reflexão, se perguntar: Eu ainda a amaria depois de tudo? HOJE, estou disposto a seguir em frente e enfrentar o que há por vir? Continuarei a olhar da mesma forma como a vi pela primeira vez que me vi apaixonado?
O dia dos namorados é um dia muito especial para buscar a essência do amor. É amar como se fosse a primeira vez. É dia de reconquistar e fazer noss@ companheir@ dizer sim para nós mais uma vez.
É se sentir especial e honrado por amar e ser correspondido em um mundo onde as pessoas andam tão frias e distantes uma das outras. E para isso, não é preciso de nada, só dar valor ao que realmente tem valor: O que se sente. 


terça-feira, 22 de março de 2016

as vezes quando a gente perde a gente ganha


Eu não sou muito chegada em televisão, mas um dia desses de tédio, liguei a tv e vi que em uma novela atual existe um personagem que possui um lema que me chamou bastante a atenção: "Tudo que acontece é para melhorar a vida da gente". Essa frase fez tanto sentido pra mim e olha que eu sou meio pessimista. 
Fazendo uma breve retrospectiva de vida, lembrei dos momentos em que o meu mundo virou de cabeça pra baixo e me senti perdida. Lembrei dos momentos em que tive que recomeçar do zero. Acontecimentos ruins que achei que nunca iam passar e que eu não daria conta. Fases em que jurava que tinha perdido. Mas as vezes, quando a gente perde a gente ganha
Quando tudo se ajeitava, eu enxergava a vida melhor do que antes. As mudanças eram pra melhor. Eu melhorava como pessoa. Eu via que o que tinha perdido não era nada em comparação ao que estava me esperando lá na frente. 
Ás vezes ficamos apegados a situações que nem nos fazem tão bem, mas estamos acomodados por medo de mudanças. Seja em um emprego, uma faculdade, um relacionamento, você valoriza tanto essa situação te fazendo crer que é o melhor lugar onde você poderia estar, deixando de enxergar o quanto você é capaz e merecedor de algo maior. Ai vem a vida e te tira da sua zona de conforto e você perdeu mais uma vez. Mas depois que tudo deu errado, tem tudo pra dar certo! A vida sempre mostra que ela pode nos trazer o melhor se a gente tiver coragem pra vive-la. 
E logo eu que sou daquelas que não ganha nem em sorteio de cursinho de informática grátis na escola, constatei que perdendo eu ganhei muita coisa na vida. E sim, tudo foi pra melhorar. 
Que tal, fazermos igual ao professor Pancrácio da novela, e levar essa frase no coração? Vamos ser mais otimistas e vivenciar essa verdade. Nós só temos a ganhar!  hahahaha

 “Porque crianças... quando uma porta se fecha... bem, vocês sabem o resto”. - Ted Mosby 





Camila Ribeiro


terça-feira, 8 de março de 2016

Por favor, se for amar, ama direito porra!

Relacionamentos não são fáceis. São duas pessoas criadas em famílias diferentes com outros costumes e ensinamentos. Cada um teve a sua vivência, e carrega a sua bagagem de experiência. São personalidades distintas que um dia se cruzam, se gostam e decidem viver como um casal, dispostos a passar por todos os obstáculos da convivência.
Nos dias atuais, há uma luta feroz por liberdade. Somos a tal geração do promova o desapego. 
Mulheres lutam por independência, e hoje em dia já conseguem ganhar seu próprio dinheiro e se bancar. Lutam para ter o direito de ser mães solteiras sem serem discriminadas. Se divorciar é algo simples e rápido. Homens e mulheres conseguem sexo casual com facilidade em aplicativos de encontros. Ninguém mais é criticado por ser solteiro, e morar sozinho. Terminar uma relação por redes sociais já deixou de ser pecado. O casamento tem se tornado uma cerimonia dispensável e antiquada para muitas pessoas. 
Então o que prendem duas pessoas em uma relação que não seja o amor? A troco de que, jovens casais empurram com a barriga relacionamentos sem um pingo de amor, de dedicação, todo remendado por mentiras?  O que faz um ser, livre e desimpedido, dar tchau para o seu mundinho feliz de baladas, bebidas e sexo fácil, de não precisar dar satisfação pra ninguém e nem ligar no dia seguinte,  pra entrar numa relação que exige esforço, entrega diária, paciência, compromisso, fidelidade e muitas vezes deixar de fazer uma coisa que você quer pelo o bem do casal, pra não levar a sério e trair, e tornar a sua vida e a do outro um inferno? Se alguém souber as respostas, me mandem ai nos comentários por favor? Porque eu sinceramente não consigo entender.
 O amor não é pra todo mundo. Amar é pra quem tem coragem. O amor não combina com gente egoísta, nem tenta. Pessoas com mau caráter entram em um relacionamento só pra confundir o amor. Manipular, mentir, levar vantagem em cima do outro. Pra vocês, tenho a solução: psicólogo. Não namore só pra ter alguém que faz tudo pra você, infla teu ego, e te dá colo quando precisa. vai procurar sua mãe que é melhor.
Empatia, já ouviram falar? Se trata de um exercício de se colocar no lugar do outro e compreender o sentimento alheio. Não fazer com o outro o que não gostaria que fizessem com você. O que eu quero dizer com isso? Quero dizer a vocês que não percam tempo e nem façam as pessoas perderem o dela mantendo um relacionamento fracassado. Poupem seu psicológico. Se for pra mentir, enganar, fazer sofrer, ser egoísta, frio, e tudo que não tem nada a ver com o amor, não namore. Tá carente? Adota um animal de estimação. Mas não mexe com o ser humano não. Que é por gente leviana, que entra em relações e acabam se machucando e machucando os outros, que as pessoas estão promovendo tanto o desapego. Vêem a união entre duas pessoas uma cilada. Então, por favor, se for pra amar, ama direito. Não queima o filme de um sentimento que é tão bonito porque você cismou que essa relaçãozinha meia-boca que você tem é um namoro, porque não é. Obrigada.



Camila Ribeiro